Сообщество OreyiTrade

29 de Abril de 2011

Análise à Portucel. S1

PTI tem vivido um uptrend desde 2009. Durante esse Bull Market o título praticamente duplicou na Bolsa. A resistência na zona 2,40€ e 2,43€ formada em Abril de 2006 e 2008 mostrou ser relevante, pois PTI levou quase três meses a rompe-la. Ainda em Outubro de 2010 a resistência entre 2,40€ e 2,43€ foi testada, mas sem sucesso, pois o título corrigiu aos seus níveis registados em meados do mesmo ano (2,25€). Os últimos meses de 2010 PTI lateralizou e cotou entre 2,25€ e a resistência de 2,43€. O quebrar dessa resistência importante deu-se na última semana de Janeiro de 2011 com uma subida de volume significativa (volume duplicou).

A próxima resistência importante é a de 2,57€. Este nível, que foi testado nos finais de Fevereiro, não foi quebrado e PTI corrigiu bastante (tendo passado alguns dias abaixo da resistência anteriormente quebrada). No gráfico de longo prazo (barras semanais) esse ressalto forte permite ajustar uma linha de tendência ascendente. Esta consolidação parece estar a traçar uma bandeira, o que é um continuation pattern e há que esperar o resumo do uptrend logo que essa bandeira for quebrada pela alta.


Passemos ao gráfico diário. Usarei o gráfico de linhas para eliminar a oscilação brusca sucedida no dia 18 de Abril para poder visualizar melhor a bandeira referida. Repare na linha horizontal vermelha traçada na parte inferior do gráfico. Aquelas barras são o volume diário (volume é o número de acção transaccionados, num dia no nosso caso concreto). Desde que o preço entrou em formação da bandeira o volume passou a ser aproximadamente metade em comparação com o volume registado nos dias em que PTI quebrou a resistência dos 4,43 e cresceu aproximadamente 6% sem paragens. Este comportamento no volume confirma a possível formação de bandeira no gráfico da PTI.



Os indicadores técnicos ainda não deram sinais de entrada. Neste momento há que esperar o quebrar da bandeira e a ascensão a resistência dos 2,57€. A leitura do volume será muito importante: o quebrar da bandeira (no caso da sua existência) será anunciado por um aumento significativo do volume (acima da linha vermelha traçada nos ¾ de um milhão de acção por dia); o crescimento da acção só será sustentável se o volume for considerável, é o volume que dará força à PTI continuar a subir.

Portucel encontra-se num claro Bull Market por isso shortar nesta altura só é uma estratégia para traders agressivos e de muito curto prazo. Há que ser paciente, optimista e esperar pelos sinais. O quebrar da bandeira no imediato é necessário para considerar entrada longa (comprar) na PTI e há que ter em atenção a resistência dos 2,57€. Esse nível tanto pode ser testado e superado a primeira tentativa como não ser. O volume desempenha um importante papel na análise técnica, alias o preço e o volume são os dois recursos de informação mais importantes para um trader e analista técnico.


26 de Abril de 2011

Exemplo de um Head&Shoulders - S1


Legenda do gráfico:
1- Left Shoulder
2- Correcção do «ombro esquerdo»
3- Head
4- Correcção da «cabeça»
5- Right Shoulder
6- Neckline breakout
7- Return Move


Esta semana vou ilustrar um padrão (figuras visíveis nos gráficos) muito conhecido que se chama Head & Shoulders. A vertente cartista da Análise Técnica apresenta dois tipos de padrões: os padrões de Continuação e de Reversão (Continuation and Reversal Patterns). Head & Shoulders (H&S) é um padrão de Reversão na maioria das vezes. Este padrão aparece no final de um uptrend, e dá um sinal ao analista que há que esperar uma reversão da tendência. Este padrão pode ser de continuação.

H&S leva tempo a construir, pelo que o trader só começa a aperceber-se de que há realmente um H&S na altura da formação do «ombro direito». Para além das cotações, o volume dá sinais importantes e deve ser sempre tido em conta para confirmar o padrão. O volume vai reduzindo até a formação do «ombro direito» e regista um aumento sensível na ruptura da neckline (linha que une as correcções do «ombro esquerdo» e da «cabeça»). O Volume tem de registar maiores aumentos conforme o preço for baixando, quebrando os últimos mínimos registados .

Existem dois métodos para calcular o target (ou seja quanto é que o preço irá descer).
No 1º método nós subtraímos o preço da «cabeça» e o segundo ponto de reacção (2º ponto do neckline), de seguida observamos onde ocorreu a ruptura do neckline, e por fim subtraímos esse nível de ruptura com a diferença obtida no primeiro passo.
O 2º método é mais simples, mas menos preciso: nós apenas multiplicamos por 2 a diferença obtida no primeiro passo atrás mencionado.

Neste momento deve estar bastante confundido, por isso vou utilizar um caso prático para exemplificar um H&S. O exemplo vem das cotações da ZON (cotada no Euronext Lisboa, fazendo parte do PSI20), gráfico apresentado no fundo deste post.

O padrão Head & Shoulders aparece do lado esquerdo do gráfico com a seguinte legenda:
LS - Left Shoulder (ombro esquerdo)
H - Head (cabeça)
RS - Right Shoulder (ombro direito)

A linha vermelha corresponde a neckline. A quebrar desse nível dá o sinal de vender a descoberto.

No gráfico da ZON a cabeça formou-se ao preço de 3,44€, o neckline foi quebrado a 3,21€ com o 2º ponto de reacção ao nível de 3,18€. Desta forma o target a fixar seria 2,95€:
  1. 3,44-3,18=0,26|
  2. 3,21-0,26=2,95|
Neste caso concreto a precisão do calculo do target foi quase perfeita, pois o fundo foi registado ao preço de 2,77€.



Perante esta situação, um trader deveria seguir as cotações da ZON desconfiando da formação do H&S, vendendo a descoberto quando o preço quebrasse o neckline, ou seja, ao preço de 3,21€. Na Análise Técnica é crucial ter paciência e só agir quando o gráfico realmente dá sinal.

Alguma terminologia/gíria - S1.Teoria

Muitas vezes é difícil de perceber o que um trader ou um broker está a dizer, pois são utilizados termos especiais que, embora simples depois de serem apreendidos, não são perceptíveis ao público geral. Desta forma vou introduzir neste blog alguns dos conceitos mais importantes e utilizados nos mercados financeiros.

Abrir uma posição significa comprar (vender a descoberto) acções, futuros, moeda. Corresponde ao começo de uma aposta.

Fechar uma posição significa vender (cobrir posição curta) acções, etc. Corresponde ao fim de uma aposta.

Posição Longa (long position) é uma posição em que o trader espera ganhar com a valorização da acção. Ou seja, «buy low - sell high».

Posição Curta (short position) é uma posição em que o trader espera ganhar com a desvalorização da acção. Ou seja, «short high - cover low».

Um trader abre uma posição longa comprando acções e fecha a posição longa vendendo acção. O ganho consiste na valorização das acções: compra a 10€/acção e venda por 12€/acção, traz uma mais-valia de 2€/acção.

Um trader abre uma posição curta vendendo acções e fecha a posição curta comprando acções. O ganho provém da desvalorização das acções: venda a descoberto -short- a 10€/acção e cobertura -cover- (ou seja compra para cobertura de uma venda a descoberto) a 6€/acção permite ao trader uma mais-valia de 4€/acção.

Nas posições curtas a terminologia é um pouco mais "complexa" do que nas longas. Quando se abre uma posição curta diz-se que o trader vende a descoberto/vai curto; para simplificar diz se que o trader está a shortar uma acção. Quando a acção desvalorizou e o trader quer ficar com a mais-valia, ele fecha a sua posição curta cobrindo os seus shorts.

Vamos perceber a lógica das posições curtas. Como se ganha com as desvalorizações? Um trader que acredita que a acção irá cair nos próximos tempos "pede emprestado" acções a um banco, ao broker ou outra instituição financeira, comprometendo-se a pagar um juro por essas acções. Logo que receber as acções emprestadas o trader vende-as e recebe dinheiro. Imaginemos que o trader John pediu emprestado 100 acções da EDP Renováveis ao preço de 8€ na altura da sua OPV e logo a seguir vende-as por 800€ (ficando com essa quantia no bolso). Agora o John está encarregue de pagar um juro à instituição que lhe emprestou as acções e compromete-se a devolver essas acções posteriormente. Entretanto a EDPR desvaloriza e a sua cotação é agora 5€. John, contente com a situação diz ao banco que vai devolver as acções da EDPR e já não precisa de pagar o juro. Para poder devolver as acções ele tem de compra-las. Para isso John vai ao mercado e compra as acções por 500€ (5€x100 acções). Devolve as acções e fica com uma mais-valia de 300€ (vendeu por 800€, comprou por 500€). Simplificando o caso pode-se dizer que uma posição curta é o contrario de uma posição longa. Acontece o mesmo mas com ordem invertida.

Nas posições longas não há nada de difícil de perceber; compra-se no presente para vender mais caro no futuro.

A língua inglesa tende a simplificar dialectos. Os ingleses e americanos dizem coisas como por exemplo go short and cover $3 bellow; buy longs at $20 each share; add longs to your position; I'm short in General Electrics. Em vez de dizer posição curta/longa focalizam só o lado da transacção para tornar a explicação mais rápida e simples.

Outro tipo de gíria importante é o bem conhecido par Urso-Touro. Normalmente, porém, esses termos aparecem em inglês (Bear & Bull).

Quando se afirma algo como Bear Market, o que se quer dizer é que o mercado está em queda. Um sentimento bearish é um sinonimo para o termo pessimismo. Em contrapartida, um Bull Market é o mercado que está em crescimento, e o sentimento bullish corresponde ao optimismo. Desta forma, os compradores são chamados touros, pois são aqueles que fazem com que o mercado suba, criando a chamada pressão compradora; e os vendedores são os ursos, que criam pressão vendedora, fazendo o mercado baixar. O focal é descobrir quem é mais forte nesse balanço e juntar-se ao grupo que prevalece. Se o mercado cresce, isso significa que há mais touros (compradores) que ursos (vendedores), e vice-versa para um mercado em queda. Se haver mais touros a pressão compradora é superior que a vendedora pelo que mais que anula o movimento negativo e leva o mercado para um nível mais alto. Se, por exemplo, a tendência geral for a de subida, mas num determinado dia a cotação de uma acção descer significa que naquele dia houve mais ordens de venda do que de compra.

Há imensas caricaturas acerca deste tema, como por exemplo o Barrack Obama “nuo” a saltar das costas de um unicórnio para cima de um urso, tendo a caricatura como o fundo a imagem da NYSE (New York Stock Exchange – a maior e a mais conhecida Bolsa do Mundo). Existe uma estátua a um touro na Nova Iorque (ao pé da NYSE) que simboliza um mercado forte e sempre em crescimento.



Outro tema a abordar nesta parte é a designação das tendências. No mercado há três tendências e, consequentemente, há três tipos de posição que podemos adoptar. A tendência positiva é tendência ascendente que dá luz verde às posições longas. Nessas alturas devemos somente comprar, usando pequenas correcções como momentos de entrada. É de salientar que essas correcções não devem ser usadas para abertura de posições curtas. Em inglês esse tipo de tendência é chamado um uptrend. O segundo tipo de tendência é designado como downtrend, e corresponde ao mercado com tendência descendente. Nessas alturas devemos procurar adoptar posições curtas, ou seja, vender a descoberto com a finalidade de ganhar com as quedas. A terceira tendência, que muitas vezes é esquecida, é a chamada lateralização, em inglês sideways. Corresponde a alturas em que o mercado não tende, andando aos zig-zags. Em alturas como essas podemos não transaccionar ou então usar osciladores (tema tratado mais a frente) para encontrar zonas sobre vendidas (oversold) para ir longo e zonas sobre compradas (overbought) para ir curto. É de salientar que o mercado não tende 2/3 do tempo, e as tendências fortes não acontecem frequentemente. Muitas vezes momentos de lateralização correspondem a períodos de preparação para tendências, cujo inicio é anunciado pelo aumento gradual do Volume (nesse caso o mercado começa a tender com com evolução moderada) ou abrupto (que corresponde a um movimento brusco na direcção de uma tendência nova).

O princípio base da análise técnica é transaccionar o lado da tendência, ou seja, ser optimista em alturas de uptrend e pessimista em alturas de downtrendTrend is your friend. Outro princípio é “trade trending stocks”, ou seja, jogar apenas acções que demonstram tendência clara. Existem vários tipos de estratégias para trading, umas focam-se na tendência e utilizam apenas esse princípio base para negociar (são chamados os trend-followers), em alturas de lateralização, porém, outro tipo de estratégias deve ser adoptado (os chamados osciladores). Mais a frente, quando passar esta parte mais introdutória focar-me-ei na explicação dessas estratégias e vários tipos de ferramentas a disposição de um analista técnico.